Perfil

Nasceu em 21 de março de 1964, em uma pequena cidade do sertão da Paraíba. Aos cinco anos, seus pais se mudam para Mato Grosso e, depois, para Rondônia.(...)
Saiba mais.

Vale a pena

Arquivo de agosto de 2012

Mais educação, menos informalidade

A educação sempre foi considerada pelos países desenvolvidos como a base para o crescimento econômico e social. Esta teoria foi confirmada recentemente pela Fundação Getúlio Vargas ao divulgar dados de estudo do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), afirmando que o aumento da escolaridade média do trabalhador brasileiro é o principal fator por trás da recente queda da informalidade no mercado de trabalho.

Leia mais… »

Como ser um bom político?

Em pleno período eleitoral e com tantos candidatos com nomes e propostas diferentes, torna-se difícil escolher em quem votar. Calejados por escândalos como o mensalão – que causou um rombo de R$ 55 milhões em 2005 e contou com 40 pessoas envolvidas, mas apenas 3 deputados foram cassados -, e os anões do orçamento – que causou prejuízo de R$ 800 milhões de 1989 a 1992, quando sete deputados faziam emendas que remetiam dinheiro a entidades filantrópicas de parentes, cobravam propina para inclusão de verbas em grandes obras e faziam lavagem de dinheiro por meio de apostas na loteria – fica a pergunta, como é possível ser um bom político?

Leia mais… »

As demandas do Eleitor Recifense

O termo accountability significa prestação de contas. Este termo é utilizado por cientistas políticos ao se referirem às prestações de contas de suas ações pelas instituições estatais.

Leia mais… »

Por que os impostos no Brasil são tão altos?

O Brasil possui uma das maiores cargas tributárias do mundo. Estamos acima da média tributária mundial, de 27,1%, e da média latino-americana, de 28,1%. Aqui, o imposto médio sobre uma empresa é de 34% sobre a receita anual e os impostos brasileiros sobre o setor privado são superiores aos cobrados em países como o Chile, México e Uruguai. E, ao contrário de outros países, o Brasil vem apresentando um aumento nas taxas desde 1998, chegando a 32,6% em 2009.

Leia mais… »

O sistema prisional brasileiro

Quarenta mil reais. Este é, em média, o valor gasto por ano pelo país com cada preso em presídios federais – quase três vezes mais que os gastos com cada aluno do ensino superior, cujo valor atinge cerca de R$ 15 mil anuais. Quando restringimos esses números para a esfera estadual, que concentra a maior parte da população carcerária, e comparamos com os dados do ensino médio, cuja responsabilidade é dos governos estaduais, os números tornam-se ainda mais impressionantes: são gastos, em média, R$ 21 mil por ano com cada preso. Isto representa nove vezes mais do que os gastos com cada aluno no ensino médio por ano, que é em torno de R$ 2,3 mil.

Leia mais… »

Rio 2016

Com o fim das Olimpíadas de Londres, os olhos se voltam para a próxima edição do evento, que acontece no Rio de Janeiro, em 2016. Durante a cerimônia de encerramento, por oito minutos, o Rio foi apresentado ao mundo. Uma mistura de culturas e ritmos que contagiaram os presentes no estádio olímpico.

Leia mais… »

Um país em greve

Nos últimos meses o Brasil tem sido tomado por uma sequência de greves em vários setores do funcionalismo nacional. Universidades públicas, Polícia Civil, transporte público, montadoras de veículos e recentemente as Polícias Federal (PF) e Rodoviária Federal (PRF) decidiram cruzar os braços em buscas de melhores condições.

Leia mais… »

O desperdício das águas

Dezenas de tubulações de abastecimento de água se rompem todos os dias no Recife. Algumas delas levam dias para serem consertadas. E nesse período, milhares de metros cúbicos de água são jogados fora, inutilizados.

Leia mais… »

A Veneza brasileira

Recife, a Veneza Brasileira ou ainda a “Cidade Maurícia”, é interligada por canais, córregos, rios e bacias. As águas cortam grande parte dos bairros, do tradicional São José ao canal do Arruda, de Boa Viagem à Tejipió. Ademais, a cidade é uma das 65 com economia mais desenvolvida dos mercados emergentes no mundo, em uma lista na qual aparecem apenas cinco cidades brasileiras – São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília e Curitiba.

Leia mais… »

Não há saúde sem saneamento

O Brasil tem ocupado lugar de destaque no cenário mundial como potência econômica e a expectativa é que, até 2050, sejamos referência de economia global. Porém, a imagem internacional brasileira não é só “ordem e progresso”. Hoje, nos transformamos em um país tipicamente urbano, com aproximadamente 85% da população morando em cidades.

Leia mais… »