Por que os impostos no Brasil são tão altos?

O Brasil possui uma das maiores cargas tributárias do mundo. Estamos acima da média tributária mundial, de 27,1%, e da média latino-americana, de 28,1%. Aqui, o imposto médio sobre uma empresa é de 34% sobre a receita anual e os impostos brasileiros sobre o setor privado são superiores aos cobrados em países como o Chile, México e Uruguai. E, ao contrário de outros países, o Brasil vem apresentando um aumento nas taxas desde 1998, chegando a 32,6% em 2009.

Uma das principais causas para o aumento da carga tributária brasileira está no aumento dos gastos públicos. Após a estabilização do Real, o Brasil reduziu a emissão de moeda e, para financiar os gastos foi preciso aumentar a carga tributária. Pagamos imposto sobre quase tudo. Pagamos a tributação sobre sua renda, que é o imposto de renda mais o INSS. Pagamos a tributação sobre os patrimônios, principalmente o IPTU e o IPVA e pagamos também tributação sobre consumo, os tributos que estão embutidos no preço dos produtos e dos serviços, sendo estes os que mais são sentidos pela população.

Se colocarmos em números, em média, são 18% de tributos sobre a renda, 3% sobre o patrimônio e 23% sobre o consumo. Chegando a um total de 44% do rendimento apenas para tributação. O grande problema não está no pagamento e sim na falta do retorno dos impostos pagos pela população.

Entre os países integrantes do G8, os Estados Unidos, Canadá, Japão e Rússia têm impostos mais baixos que o Brasil. Estamos na última posição, abaixo inclusive do Uruguai e Argentina, na posição dos países que investem em serviços como educação, saúde e segurança, em resposta aos tributos pagos pelos contribuintes. Ou seja, somos o país que menos devolve a população em serviços públicos o valor de impostos que se paga, conforme afirma o Índice de Retorno de Bem Estar à Sociedade (IRBES).

Em um contexto federativo, não há uma distribuição igualitária das receitas tributárias, de modo que inexiste um sistema justo em favor das unidades federativas economicamente mais frágeis ou menos privilegiadas, o que dificulta o acesso, por parte do cidadão, aos serviços públicos com o padrão mínimo de qualidade e que deveria ser disponibilizado através da cobrança desses impostos.

Se compararmos com os países europeus, lá a tributação é mais justa, uma vez que ocorre principalmente sobre a renda, para depois recair sobre as contribuições sociais e por último sobre o consumo. Infelizmente, temos uma carga tributária de país europeu, acima de 30% da renda, mas uma estrutura fiscal que privilegia mais os ricos do que as classes média e baixa, visto que a tributação sobre o consumo pesa mais sobre a população de menor renda, ou seja, faz com que quem ganhe menos acabe pagando mais tributos, pois não se tem como diferenciar tributação sobre alimentos que é pago pelo pobre ou pelo rico, já que ela é exatamente a mesma – o que acaba tornando o sistema tributário injusto.

Devemos construir a consciência que os impostos têm a finalidade de fomentar o desenvolvimento social e de financiar os serviços públicos, e quando aplicados de forma correta – em educação, saúde, saneamento básico e tantos outros serviços necessários à população – proporcionam um desenvolvimento econômico-social que nos levará ao grupo dos países desenvolvidos, onde economia e qualidade de vida são equivalentes. Cabe a nós cobrar que as aplicações sejam feitas de forma coerente.

7 Respostas para “Por que os impostos no Brasil são tão altos?”

  • gil:

    Quando os governos brasileiros irão investir todos os impostos que arrecadam da população em obras, educação, saúde principalmente entre outros investimentos. O Brasileiro trabalhador que acorda cedo se mata de trabalhar de cuidar dos filhos tentando dar uma educação de qualidade mas não consegue, Até quando seremos reféns do sistema.

  • Skaertus:

    O problema da má utilização do dinheiro arrecadado não é apenas a ineficiência governamental. É também a sacanagem. Vou dar um exemplo. O BNDES tem um orçamento gigantesco, maior do que o do Banco Mundial, para financiar o setor privado. E a grande maioria dos recursos do BNDES vai para algumas poucas empresas, os chamados gigantes nacionais, enriquecendo os seus controladores, em geral “amigos do rei”. Com os recursos governamentais, essas empresas se tornam imbatíveis e quebram todos os concorrentes, ainda que sejam marcadamente ineficientes. Os impostos, que financiam esses gigantes, também bloqueiam os produtos importados de oferecerem qualquer concorrência. Mas veja, o governo justifica esses empréstimos no fortalecimento da indústria nacional e na criação de empregos. Aí tudo bem. Afinal, quem é contra o emprego? E o povo continua pagando impostos extorsivos para sustentar o padrão de vida babilônico dos marajás brasileiros.

  • Julio Santos:

    Não “ao contrário dos outros países”..mas sim…”igual aos outros países tem aumentado seus impostos!”

  • nelson:

    acho que esses altos impostos são consequência da falta de organização do brasileiro. Quando o cidadão joga lixo na rua, alguém tem de retirar o lixo que ele deixou lá. Quando o cidadão sai da balada bêbado, batendo o carro em tudo que aparece e atropelando todo mundo, alguém tem de limpar esse estrago. Quando o cidadão passa sua vida inteira sem se prevenir e ao final da vida está na miséria, alguém precisa dar-lhe de comer e cuidar da sua saúde. Quando o cidadão tem dezenas de filhos sem se preocupar em sustentá-los, alguém tem de fazê-lo. Quando o cidadão não se importa com a sua saúde, de modo geral, alguém tem de fazê-lo. Isso tudo só para citar alguns exemplos. E o mais importante: Quando o cidadão não se preocupa com a política e não se organiza politicamente, não cobra dos políticos e não elege os políticos corretos fica a mercê destes. Ora, será que sai barato manter um país onde a maioria dos cidadãos “não tá nem aí pra nada”? Acho que a culpa não é só do Governo.

  • SERGIO SANTOS:

    EXATAMENTE, CADA POVO TEM SEU GOVERNO QUE MERECE.

  • NORBERTO:

    TUDO ISSO É CULPA TOTAL DO GOVERNO E POUCO INVESTE EM EDUCAÇÃO, SE TIVÉSSEMOS UM POVO EDUCADO, NINGUÉM JOGARIA PAPEL NA RUA, NINGUÉM SAIRIA POR AI BATENDO CARRO EM TUDO DESTRUINDO AS COISAS PUBLICAS , O QUE REALMENTE FALTA É INVESTIMENTO MUITO FORTE EM EDUCAÇÃO , PARA DAQUI 20 ANOS OU MAIS , O PAIS COMEÇAR A FLORESCER , ESTE É O CAMINHO COMEÇAR DE NOVO

  • flaviano:

    Não precisa investir pesado em educaçao …tem países que investem bem menos q o Brasil e tem educação de qualidade superior a nossa…

Deixe um comentário