Perfil

Nasceu em 21 de março de 1964, em uma pequena cidade do sertão da Paraíba. Aos cinco anos, seus pais se mudam para Mato Grosso e, depois, para Rondônia.(...)
Saiba mais.

Vale a pena

Arquivo de novembro de 2010

A Era Lula

A solidão dos últimos dias de poder parece não abater Luiz Inácio Lula da Silva. Com mais de 80% de aprovação popular, o presidente descerá a rampa do planalto na cerimônia de transmissão de posse com a dignidade de um governante que respeitou as instituições democráticas e conquistou a posição de um líder carismático numa concepção weberina, tamanha a capacidade de exercer influência e liderança sobre a população. Leia mais… »

Meirelles sai e os riscos aparecem

A presidente eleita, Dilma Rousseff, fez sua escolha: o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, se afasta, assumindo o cargo Alexandre Tombini. Há quem defenda a decisão da presidente, alegando que Meirelles não foi enérgico o suficiente com a redução da taxa Selic. O Brasil tem uma das mais altas taxas básicas de juros do mundo. É fato. Mas, é preciso enxergar o outro lado: o País tomou as decisões que lhe eram pertinentes e uma possível perda da autonomia do BC pode colocar o Brasil no risco da volta da inflação. Leia mais… »

A agenda das reformas

Nova presidente, nova bancada parlamentar e um desafio antigo: o desengavetamento das reformas. Na necessidade da transformação do estado brasileiro reside a maior expectativa para os novos mandatos do executivo e legislativo no período de 2011-1014, com a construção de novos arranjos institucionais e da criação de instrumentos que oxigenem a atividade produtiva brasileira. Leia mais… »

Estará próximo o Apocalipse?

“O Apocalipse está próximo”. Eis o título da matéria escrita por Renato Pompeu, para a revista Caros Amigos de 23 de abril de 2005. Na oportunidade registrou o aludido jornalista: “Ondas gigantescas no Pacífico, geleiras derretendo da África à Ásia, aldeias inteiras no Alasca e no ártico migrando para fugir do aquecimento de seus habitats, o primeiro furacão na história do Brasil, secas, tempestades e inundações de inusitada intensidade em diversos pontos do globo. Se as catástrofes sempre fizeram parte da história humana, nunca as previsões científicas nos aproximaram tanto como atualmente do apocalipse: a temperatura da terra está subindo aceleradamente, o nível do mar aumentando e, a continuar nesse ritmo, dentro de alguns anos as hecatombes farão parte do cotidiano dos homens até mesmo em lugares que pareciam a salvo da fúria da natureza. O esgotamento dos recursos naturais, principalmente da água doce, compõe a outra face da tragédia. Previsões indicam que, até 2050, uma entre quatro pessoas sofrerá com a falta de água. Como no aquecimento do planeta – provocado basicamente por atividades econômicas poluentes- é o modo de vida da sociedade pós-Revolução Industrial o grande responsável pela escassez de água potável. O desmatamento que ameaça a água é o mesmo que ameaça o clima, que, por sua vez, trará a morte das florestas, mudanças no regime de chuvas e de drenagem de solos e rios. Leia mais… »

O risco da desindustrialização

O Brasil está seguindo de marcha à ré. E o caminho inverso ao desenvolvimento que o País está fazendo tem nome: desindustrialização. O assunto esteve presente na campanha eleitoral, quando o candidato José Serra disse que o Brasil estaria vivendo este processo. Na ocasião, o Governo negou. Mas agora o Ministério do Desenvolvimento admite: o risco existe. Leia mais… »

Ficando para trás

Francis Fukuyama editou recentemente o livro “Ficando para trás”. A publicação reúne diversos artigos que abordam as razões do subdesenvolvimento da América Latina. Uma leitura obrigatória para entendermos o que motiva essa condição sócioeconômica, apesar da evolução de diversos países nos últimos anos, em particular do Brasil. Leia mais… »

Os desafios da nova presidente

Pelos próximos quatro anos, uma mulher chamada Dilma Rousseff assume o comando do Brasil. Mas, passadas as comemorações de pouco mais da metade dos brasileiros, que escolheram a primeira mulher presidente da história brasileira, Dilma tem grandes desafios pela frente. A carência de infraestrutura para escoar a alta produção do País é apenas o começo. O novo Governo se inicia diante da forte desvalorização do dólar e a falta de crescimento de grandes economias. Mais do que continuar o Governo Lula, a primeira mulher presidente do País terá que ir além do que se propõe para fazer valer o voto de cada cidadão. Leia mais… »

O prazer de viver com liberdade

Em seu primeiro pronunciamento logo após os resultados das urnas, Dilma Rousseff destacou preferir o barulho da imprensa livre ao silêncio das ditaduras, desmentindo os rumores de controle dos veículos de comunicação. A declaração deverá ser lembrada pelos próximos quatro anos como um compromisso a ser fiscalizado atentamente por todos os eleitores. Leia mais… »