Atividade Política e bons governantes

Costumeiramente os políticos são criticados. A imprensa fiscaliza as ações dos parlamentares e dos ocupantes da chefia do Poder Executivo. A população critica os políticos, responsabiliza-os pelas mazelas presentes no Brasil. É comum reconhecer a prática política como uma atividade ilícita. Na opinião pública o sentimento é de que todo político no Brasil é oportunista, corrupto, ladrão e que não sabe lidar com a coisa pública. Os escândalos na vida republicana brasileira contribuíram e continuam a colaborar para que a atividade política permaneça em descrédito.

Procuro olhar a atividade política com outros olhos. Aliás, tenho motivos para tal. Observo o crescimento da economia brasileira. A melhoria das condições socioeconômicas da população. O investimento em infraestrutura, segurança pública e educação. Existem governos que são exemplos de gestão eficiente. Então, tenho razões para olhar a política de modo positivo.

Acompanho as pesquisas de opinião pública realizadas pelo Instituto Maurício de Nassau (IMN), do qual sou presidente, e também de outros institutos. Com base em pesquisas realizadas recentemente, verifiquei que José Serra é favorito caso dispute a reeleição do governo de São Paulo.
Friso que o governador de São Paulo mantém, em diversas sondagens para a presidência da República, percentuais acima de 35%. José Serra conduziu no governo de FHC a pasta da saúde com absoluto sucesso. A sua passagem pelo ministério da Saúde e as suas ações à frente do governo de São Paulo o legitimaram a conquistar a dianteira na disputa presidencial de 2010.

Aécio Neves, governador de Minas Gerais, foi reeleito com votação consagradora. O seu nome é a segunda opção do PSDB para a presidência da República. A sua liderança política ajudou a eleger Márcio Lacerda prefeito de Belo Horizonte na última eleição. Caso Aécio decida disputar o senado federal em 2010, ele é tido como favorito para vencer o pleito.

O sucesso do governador Aécio Neves advém das suas ações no governo mineiro. Aécio em seu primeiro mandato de governador optou por modernizar a gestão do estado. A consequência disto é a admiração da opinião pública.

Em Pernambuco, Eduardo Campos chamou para si a responsabilidade da segurança pública. Após alguns meses de intensa fiscalização e cobrança da opinião pública e da imprensa, as ações de Eduardo Campos no âmbito da segurança demonstraram ser virtuosas. A meta estabelecida pelo governador – redução de 12% na frequência de homicídio – foi alcançada.

Existe a expectativa por parte da população pernambucana quanto às ações do governador na área da saúde pública. O governo age acertadamente. A construção de novos hospitais é necessária, além das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Hospitais e UPAs servirão para desafogar as unidades de saúde já existentes diante da demanda contínua. Contudo, os municípios precisam fazer a sua parte. Bons hospitais precisam ser construídos nos municípios.

A última pesquisa do IMN revela que 61% dos pernambucanos aprovam a gestão do governador Eduardo Campos. Obviamente, as ações do governador são reconhecidas pela população como eficientes.

Por que não acreditar na atividade política? Tenho motivos para acreditar, pois reconheço os méritos dos governadores José Serra, Aécio Neves e Eduardo Campos. Assim como reconheço a presença de diversos políticos no Brasil que merecem o voto da população. A atividade política realizada com seriedade e honestidade contribui para transformar o Brasil.

Deixe um comentário